Cura emocional acaba dor?

0
549

Primeiro temos que entender algumas coisas. Cura emocional é o quê? O que é cura? O que é emocional? Qual a diferença entre cura e tratamento? Vamos pensar.

Cura é a eliminação da causa dos sintomas, daquilo que produzia sofrimento, do que produzia os sintomas. Tratamento é a eliminação dos sintomas sem acabar com a causa dos mesmos.

Emocional é o que tem que ver com nossas emoções ou sentimentos. Também tem que ver com nossos pensamentos, porque o que sentimos depende do que pensamos. Então, nossa vida emocional está muito na dependência da qualidade de nossos pensamentos. Emocional tem que ver com a maneira como sentimos, como expressamos as emoções. Tem que ver com o fato de que controlamos nossas emoções ou somos controlados por elas.

“assim, cura emocional significa que a pessoa conseguiu equilíbrio entre o pensar e o sentir de maneira saudável… “

O que é bem difícil e ninguém consegue isto cem por cento, porque este equilíbrio requer a vida toda de experiência e aprendizado. É um processo para a vida e não para um momento, mesmo estando em tratamento psicológico.

Dor emocional pode ser angústia, tristeza, medo, culpa, vergonha, insegurança, timidez, ansiedade excessiva, aflição, pânico, solidão, etc. Toda dor tem um significado, tem uma história. Temos dores nessa vida. Não há nenhuma ser humano que não experimente dor emocional. A pessoa saudável mentalmente não é a que nunca tem dor emocional, mas é a que quando a tem, não se desespera, não foge dela, não a anestesia com comida, sexo, álcool e outras drogas, corrupção, medicamentos, compras compulsivas, ou qualquer outra compulsão, inclusive para o trabalho, para o romance.

Em algumas situações em que ocorre cura emocional, a dor acaba mesmo, por exemplo: um desentrosamento conjugal em que marido e mulher conseguem chegar a uma harmonia e resolução do conflito. Em outras situações de cura emocional a dor pode aparecer vez ou outra, como na morte de um ente querido, porque você pode anos depois lembrar de algum evento com ele e sentir uma saudade dolorida, embora tenha aceito aquela morte e tenha vivido bem o luto psicológico.

“é importante pensar que todo ser humano tem um tipo de dor emocional chamada “angústia”, assim como todos tem temperatura corporal”

Nem todos tem angústia forte, assim como nem todos tem temperatura alta (febre).

Nem sempre a angústia é consciente na pessoa. Talvez a maioria das pessoas reprime a angústia e a tira da consciência através do próprio comportamento. A maioria entra no automático na vida e vive canalizando a angústia para algo paralelo, como o trabalho, os estudos, as preocupações com dinheiro, status, aparência externa, controle das pessoas, sexualidade, etc.

Em algumas situações em que ocorre cura emocional, a dor acaba mesmo, por exemplo: um desentrosamento conjugal em que marido e mulher conseguem chegar a uma harmonia e resolução do conflito. Em outras situações de cura emocional a dor pode aparecer vez ou outra, como na morte de um ente querido, porque você pode anos depois lembrar de algum evento com ele e sentir uma saudade dolorida, embora tenha aceito aquela morte e tenha vivido bem o luto psicológico.

Também é importante pensar que todo ser humano tem um tipo de dor emocional chamada “angústia”, assim como todos tem temperatura corporal. Nem todos tem angústia forte, assim como nem todos tem temperatura alta (febre).

Nem sempre a angústia é consciente na pessoa. Talvez a maioria das pessoas reprime a angústia e a tira da consciência através do próprio comportamento. A maioria entra no automático na vida e vive canalizando a angústia para algo paralelo, como o trabalho, os estudos, as preocupações com dinheiro, status, aparência externa, controle das pessoas, sexualidade, etc.

“Ter consciência de nossa angústia pessoal e aprender a lidar com ela de forma construtiva, é um desafio e é bom sinal de saúde mental.”

Sören Kierkegaard, filósofo dinamarquês, uma das pessoas que estudou bastante a angústia humana, diz, em seu livro “O Conceito de Angústia”, que a pessoa que aprendeu a lidar corretamente com sua angústia, aprendeu o mais importante. Por que isto é importante na vida? Porque quando você para de fugir da angústia através de mecanismos compensadores disfuncionais, imaturos, materialistas, você se torna uma pessoa mais compassiva, equilibrada, empática, misericordiosa, inclusiva, humana, serena.

Cura emocional significa acabar com a dor? Sim e não. Sim porque é possível acabar com dores evitáveis ou tratáveis. E não, se considerarmos a angústia inerente ao existir humano. Para esta última não há remédio de farmácia que resolva. O que resolve é aceitá-la como parte da existência e ter esperança de que ela será eliminada em breve no fim do sofrimento que se aproxima rapidamente neste planeta, felizmente.

Na Bíblia, no Antigo Testamento, no livro de Naum, capítulo 1 e na segunda parte do verso ou versículo 9 está predito: “…não virá a angústia a segunda vez.” A primeira é essa, em que a humanidade vive e sofre angústia existencial por cerca de seis mil anos de história.

Fonte: doutorcesar.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA